Home    REI Revista    Contato    
» Notícias Feiras e Exposições Press Release Comércio Exterior Qualidade Total
Produtos Industriais
Distritos Industriais
Press Release
Noticiário Industrial
Comércio Exterior
Feiras e Exposições
Qualidade Total
Produtos Industriais:
Distritos Industriais:

QUALIDADE TOTAL

 AS FERRAMENTAS DA QUALIDADE

 Além das relações pessoais e mecanismos motivacionais envolvidos  no processo de melhoria da Qualidade, não menos importante são as ferramentas para o controle e melhoria de processos.

 Dentro de um critério de prioridades podemos afirmar que as relações pessoais, mecanismos de motivação e técnicas gerenciais devem iniciar o processo de introdução a Qualidade Total na empresa.

 As ferramentas de qualidade, por outro lado, são fundamentais para o estabelecimento das  metas de melhoria e avaliação precisa do processo a ser percorrido, pois permitem estabelecer como objetividade às causas dos defeitos e orientar as correções necessárias.

 Com relação ao emprego de ferramentas estatísticos podemos definir  três níveis de acordo com as dificuldades do processo:

 I  -  Elementares

II -  Intermediárias

III - Avançadas

 I-Métodos Estatísticos Elementares-(também conhecidas como as Sete    Ferramentas)

 1.1 - Diagrama de Pareto:

 A idéia básica de que o principal está em poucas causas enquanto que o trivial em muitas.

 1.2 - Diagrama Causa e Efeito:

 Não é a rigor  uma  ferramenta estatística, mas um método de analise que  permitem  visualizar com mais clareza os fatores que influenciam o processo.

 1.3 - Estratificação:

 Procura  reunir em  grupos separados  os elementos de informação conforme sua origem a fim de identificar influências de outros fatores.

 1.4 - Lista de Verificação:

 Trata de organizar a coleta dos dados a fim de garantir sua qualidade.

 1.5 - Histograma:

 Permite a visualização do grau de variação existente no processo.

 1.6 - Diagrama de Dispersão:

 Analisa a possível correlação entre variáveis.

 1.7 - Gráfico de Controle - (Shewhart) :

Permite a visualização do comportamento do processo em relação aos limites estabelecidos.

A aplicação dessas ferramentas pode ser feita em qualquer área da empresa, em qualquer nível de decisão e é sem dúvida um instrumento eficiente na identificação de causas e efeitos de problemas permitindo uma abordagem eficaz na sua solução.

 Podemos afirmar que 95% dos problemas existentes nas organizações podem ser resolvidos pela aplicação dessas ferramentas.

Por outro lado o manejo desses instrumentos exige inicialmente algum treinamento porém a constante repetição dessas práticas vai determinando um aperfeiçoamento da técnica de resolver problemas da empresa.

 Os benefícios da introdução dessas técnicas em todos os níveis levarão ao abandono de critérios subjuntivos muitos falhas na definição de problemas e por conseguinte nas soluções encontradas.

Em  complemento a essas técnicas, outros temas necessariamente deverão ser abordados e treinados:

 1- Conceito de Processo - A Idéia de que para todas as atividades existente sempre um fornecedor e um cliente na seqüência, é fundamental para a aplicação correta dos instrumentos. Também o fato de que a melhoria do processo consiste no  atendimento de todas as expectativas do cliente.

 2-  Práticas através dos Círculos de Qualidade sobre técnica de gerenciamento:

PDCA  e registros de Controle de Qualidade.

 3- Modo de pensar baseado na estatística. - O entendimento de que os dados  têm sua própria distribuição e estão desordenados por natureza. Baseados neste fato o pesquisador deve ser capaz de utilizar os dados para formular uma estimativa estatística e passar de idéias à ação definindo testes estatísticos específicos para confirmação ou não suas estimativas iniciais.

 II - Métodos Estatísticos Intermediários:

 Nesse nível, incluem-se ferramentas que tornam o sistema de obtenção e tratamento dos dados mais apurados, a saber:

 a- Teoria Técnicas de amostragem.

 b- Métodos estatísticos de inspeção.

 c- Vários métodos para formulação de estimativas e testes.

 d- Método para uso de testes sensoriais.

 e- Métodos de projeto de experimentos.

 Este método é voltado especificamente para engenheiros e técnicos dedicados aos setores de Controle da Qualidade.

III - Métodos Estatísticos Avançados:

 Este nível utiliza intensivamente o computador e técnicas tais como:

 a- Métodos avançados para projetos de ensaio.

 b- Técnicas de múltipla análise.

 c- Vários métodos de pesquisa Operacional.

 Somente uns grupos muito restritos de engenheiros e técnicos serão envolvidos nesse nível de trabalho pois seu desenvolvimento implica em complexos métodos de análise de processo e análise de qualidade. Estes métodos foram entretanto imprescindíveis para o desenvolvimento de tecnologias de ponta e tecnologias especificas a produtos de exportação.

 Dificuldade no emprego de métodos estatísticos na empresa.

 O uso de métodos estatísticos nas indústrias iniciou-se cerca de 50 anos atrás e desde o princípio encontrou  várias dificuldades.

A promoção desse método de trabalho desenvolveu-se sob o slogan “Vamos conversar com dados”, e busca convencer a todos os interessados em melhorias dos produtos sobre a importância de encontrar nos números a interpretação de resultados indesejáveis e induzir a identificação das causas.

Apesar  dos  progressos  realizados desde o inicio, alguns problemas ainda  persistem e continuam a ser  motivo de alerta a todos que se interessam pelo assunto:

 1-Informações falseadas e inconsistentes -

 existem duas circunstancias em que fatos e dados divergem a primeira ocorre quando os dados são artificialmente criados ou falseados na revisão; a segunda ocorre quando dados errados são produzidos por ignorância de métodos estatísticos.

Por que razão certas pessoas falsificam os dados deliberadamente? Isto  ocorre em maior freqüência em empresas de algum porte e com forte centralização onde os dirigentes estão habituados a dar ordens. As falsificações de informação  visam impedir que uma avaliação do processo revele incompetências embutidas no sistema. A falta de conhecimento da dispersão estatística por parte dos dirigentes tornará muito difícil identificar o problema.

 2 - Método inadequados de coleta de dados - O método de coleta de dados para uma análise estatística é da maior importância podendo influir sensivelmente nas conclusões de uma pesquisa. O estabelecimento de padrões para referência também é crucial. Suponhamos por exemplo que as autoridades de proteção ambiental estabelece  SS  que em nenhum produto fosse aceitável qualquer  traço de mercúrio; com o aperfeiçoamento tecnológico dos equipamentos de identificação desse metal, muitos produtos com resíduos insignificantes  seriam proibidos.

Em muitos produtos industriais os ensaios para verificação de  suas características principais exigem a destruição do exemplar de teste. Nesse caso, o controle estatístico estará sendo aplicado sobre outras propriedades que devem guardar uma estreita correlação com as características primárias.

Como exemplo dessa  situação podemos citar os fusíveis elétricos destinados a proteger circuitos

3 - Erros na transcrição de dados e   cálculos incorretos

Enganos originados por distração são muito freqüentes, entretanto em geral podem ser detectados facilmente por especialistas em estatística.

 4 - Anormalidade - os dados relativos a um grupo social ou atividade industrial contém valores anormais. Em geral estes decorrem das causas indicadas anteriormente em 1,2 e 3 mas em alguns casos a anormalidade decorre de uma situação de fato. Usar ou não esses  dados é uma  decisão que precisa levar em conta a finalidade e influências desses  elementos sobre as  ações a serem tomadas com  base nos dados.

 5 - Consistência - muitas  vezes os dados colhidos não estão distribuídos em uma configuração normal. Também podem conter anomalias.

De que modo poderá afetar as conclusões a serem obtidas? Em geral  ferramentas avançadas e métodos estatísticos complexos para uso em casos de falta de consistência são limitadas e não são aplicáveis em  muitas situações. Entretanto, as chamadas Sete Ferramentas Básicas anteriormente mencionadas são bastante consistentes e em geral podem ser usadas com sucesso em qualquer situação.

 6 - Aplicação de métodos falhos. -  em muitos casos  enganos e erros são cometidos pela inexperiência das pessoas na aplicação  de métodos estatísticos e analíticos.

De fato,a falta de uma compreensão clara das teorias estatísticas e modelos estruturais pode causar  muitas dificuldades. Nossa  recomendação é de que especialistas nessas áreas estejam acompanhando  o  desenvolvimento  dos trabalhos.

Análise Estatística.

 Nas indústrias os métodos estatísticos são freqüentemente usados como ferramentas de análise. Em análise, existem duas grandes categorias: análise qualitativa e análise de processo.

 A análise qualitativa é aquela que estabelece as relações entre  qualidades  verdadeiras e  qualidades substitutas, utilizando-se dados estatísticos.

 A análise de processo é aquela que identifica as relações entre fatores que determinam as causas tais como qualidade, custo produtividade, etc. Os controles de processo procuram estabelecer as causas que interferem no processo regular de fabricação. Sua meta é encontrar a  tecnologia que inclua um mecanismo preventivo. Qualidade, custo e produtividade são resultados desse controle de processo.

 Noventa e cinco  porcento dos processos  de análise, podem ser satisfatoriamente resolvidos pelo uso das Sete Ferramentas. Entretanto processos de produção contínua e controles complexos poderão exigir o concurso de computadores e técnicas avançadas para seu equacionamento.

 Bibliografia ; “ What is Total Quality Control “, Kaoru Ishikawa.

Autor: Aristheu Amaral Rosa- Engenheiro Consultor

Presidente da São Paulo AOTS Consulting S/C .

 
Inovesys e-commerce